Sunday, June 19, 2011

V Seminário Anual de Arte da BBT - Vrindavan

O Seminário Arte da BBT é um evento anual lançado durante Kartika de 2007 em Vrindavan. O seminário oferece aos devotos artistas uma oportunidade para expandir suas habilidades e receber  o treinamento específico que Srila Prabhupada deu para seus artistas da BBT.

Os artistas veteranos Dhriti Dasi e Ramadasa Abhirama Dasa vão ministrar o primeiro curso de três semanas. Enquanto continuam a pintar arte devocional para os projetos da BBT e ISKCON, estes realizados artistas também tem sido bem sucedidos no mundo comercial.

Dhriti Dasi

Ramadasa Abhirama Dasa

Estudantes no seminário irão:

• Associar-se com sêniores discípulos de Prabhupada treinados em arte para seus padrões.
• Aprender novas técnicas.
 Além disso se embeber no humor devocional de pintar assuntos espirituais.
• Aprender as instruções de Srila Prabhupada sobre pintura.
• Aprender os procedimentos colhidos do departamento de arte da BBT para completar o trabalho.
• Oportunidade especial para pintar Krishna em Vrindavana Dhama.


Este seminário é gratuito para quinze candidatos que preencham os critérios de qualificação.
No seminário do ano passado, dezesseis estudantes internacionais aprenderam técnicas práticas, bem como o humor essencial na produção de arte devocional. Este ano, o curso é mais uma vez gratuito para os quinze candidatos mais qualificados.

Trabalhando com modelos

"Gostaríamos que os futuros alunos apresentassem um portfólio de obras de arte que fizeram", diz a professora Dhriti Dasi. "Além disso, escreva-nos algo sobre como você vê a sua carreira na arte devocional, um parágrafo sobre si mesmo e seus interesses devocionais, e um pequeno parágrafo explicando porque você deve ser escolhido para o seminário."

Ar livre

As candidaturas devem ser apresentadas o mais rapidamente possível, no mais tardar até 31 de agosto de 2011. Os alunos escolhidos para o seminário será contactados dentro de duas semanas após enviar sua aplicação.

Trabalhos dos alunos:

Dhriti e Ramadasa  estão generosamente doando seu tempo para o seminário.
Patrocinadores estão convidados a ajudar cobrindo os custos das suas passagens aéreas, materiais de ensino e outros custos do seminário.

Quando: 28 de outubro de 2011 10:00 através de 17 novembro de 2011 16:00
Localização: Vrndavana, Índia
Telefone para contato: 386-462-9000
E-mail: artseminar@friendsofthebbt.org

5th Annual BBT Art Seminar - Vrindavan

The BBT Art Seminar is an annual event launched during Kartika 2007 in Vrindavan. The seminar offers devotee artists an opportunity to expand their skills and receive the specific training Srila Prabhupada gave to his BBT artists.

Veteran artists Dhriti Dasi and Ramadasa Abhirama Dasa will teach the first three-week course. While continuing to paint devotional art for the BBT and ISKCON projects, these accomplished artists have also been successful in the commercial world. 

Dhriti Dasi

Ramadasa Abhirama Dasa

Students in the seminar will: 

•Associate with senior Prabhupada disciples trained in art to his standards 
•Learn new techniques 
•Further imbibe the devotional mood of painting spiritual subjects 
•Learn Srila Prabhupada’s instructions about painting 
•Learn the procedures gleaned from the BBT art department to complete work 
•Special opportunity to paint Krishna in Vrndavana-dhama 
This seminar is free to fifteen applicants who meet the qualification standards. 


 At last year’s seminar, sixteen international students learned practical techniques as well as the mood essential in producing devotional art.This year, the course is once again free for the fifteen most-qualified applicants.

Working with models

“We’d like prospective students to submit a portfolio of art work they have done,” says teacher Dhriti Dasi. “Also, write us something about how you see your career in devotional art, a paragraph about yourself and your devotional interests, and a short paragraph explaining why you should be chosen for the seminar.”

Plein air
Applications should be submitted as soon as possible but no later than August 31, 2011. Students chosen for the seminar will be contacted within two weeks of submitting their application.

Students works:

Dhriti and Ramadasa are generously donating their time for the seminar. Sponsors are invited to help cover the costs of their airfare, teaching materials, and other seminar costs.

5th Annual BBT Art Seminar
When: October 28th, 2011 10:00 AM   through   November 17th, 2011 4:00 PM 
Contact Phone: 386-462-9000 
Email: artseminar@friendsofthebbt.org 

Friday, June 17, 2011

Mehandi: art, tradition and service

By Rosana Araújo*

     When I visited Vrndavana (India) in February 2005, the only intention I had was to worship Krishna in that holy place. As an artist I was thinking of how to use my skills in service to Krishna. It was by chance that walking through those dusty streets toward Loi Bazaar I saw a placard offering a range of services. It seemed that those people knew how to get by! One of these services was the classes of the art of mehandi.

   For those who don’t know, mehandi, or mehndi (or even mehendi) is the name of the traditional art of applying natural henna in India. I thought that by learning this art I would be able to add the India art elements  to my artwork, but I also saw there a great opportunity to be useful in festivals organized by the devotees - and I always wanted to be in all of them), and this service would be a nice excuse to meet that goal!

         My course lasted only one month, but I practiced every day, day and night. I was completely enamoured with this art, and because of my dear teacher, resident of the holy dhama, I could understand the symbolism present in the mehandi designs under the light of Radha and Krishna’s pastimes.

      From then on I still had to research, study and practice enough to be able to meet the demands of my own craving! I discovered in my research that not only the symbols were directly or indirectly connected with the pastimes of Radha and Krishna, but also that the very tradition of applying the mehandi was always performed in the mood of service and giving of love and affection.

         It is said that the use of henna began among girls from the interior of Rajasthan and Gujarat. In the fields, they accidentally soiled their hands with the plant that originates the paste, and noticed that while their hands were still stained, it lowered the body temperature. Knowing the refreshing property of henna, it began to be very useful during the hot days of Indian summer. It didn’t take long before they begin to create drawings and decorating each other with the red paste (this color has always been a symbol of Shakti, or energy and good luck).
          Everyone knows the tradition of applying henna on the hands and feet of Indian brides. Well, this is the origin of the bachelorette party and the bridal shower! The days of applying henna wedding is a very special day, and is part of a day of the Hindu wedding’s party week. Today it all became a symbol of social status, but traditionally this day has several deep meanings in the woman's life:

- The henna is one of the first gifts that the groom offers to the bride.

- It's a day she says goodbye to his single life with her friends and relatives.

- It is an occasion where she hears advice on married life and how to please your future husband (so it is believed that the bigger is the henna design , the better wife a bride will be, because elaborate designs take time to be completed).

- It is considered a rite of passage, a party which reduces the psychological stress of the social status change.

- It is an opportunity for friends and family show their love for the bride, assisting her in beauty rituals, offering gifts and making the application of henna a pleasant and relaxing time for her, making her feel more beautiful and confident. Often, they are the very friends who apply henna on the bride.

                                                                                   By Gopal Swami Khetanchi

       After the application of elaborate designs on the hands and feet, the bride once again is "obliged" to relax, because it takes some time for the henna dry and its natural dye to penetrate the layers of the skin, settling into the cells. And then her friends come back into action to help her in whatever way necessary. This inspires in the bride a feeling of confidence, knowing that she is loved and has friends she can count on for better or worse.

         Few people know, however, the ritual of applying henna in pregnancy, pre and post-partum. The principles are the same of traditional henna wedding, and as she receives for the second time the henna during pregnancy, it brings back memories of the happy occasion of her marriage, making her to remember that the child is the fruit of this holy union. They also say that the application of henna in pregnancy in Hindu culture is a way to ease the symptoms of postpartum depression, it makes it feel more beautiful, loved and protected not only by loved ones, but also protected by the symbols of protection and good luck present in the henna designs.

       The mehandi also appears on other important occasions in Hindu social life, especially when one is starting a new stage in life. The mehandi marks a festive time, and it is also believed that brings good luck, protection and purification (this last quality is perhaps connected with its natural antiseptic properties).

        We’ll take a look at the meaning of some symbols, and how it can remind us of Radha and Krishna while we contemplate drawings made with henna:

Peacock - Symbol of love, divinity, royalty, and beauty. The peacock is considered an animal with very auspicious features, for example, it has a natural crown on its head and it’s a predator of snakes, symbolizing his power to the destruction of envy and all evil. Krishna wears a peacock feather on his head as an ornament. This makes the peacock an animal not only special, but sacred. In Vrndavan, a city where Krishna manifested His children and youth pastimes, until now the peacocks roam freely through their yards and woods. In the morning they play the same role of cocks in the West, waking up residents of Vrindavan with its distinctive crowing sound. There is a legend in Vrndavan that tells about how the peacocks are fertilized. It is said that when they see rain clouds (the skin color of Krishna is compared to a rain cloud), the peacocks remember of Krishna fondly and begin to sing and cry. The female peacocks are fertilized from drinking water of this rain that falls.

Parrots - Symbol of love and fidelity. Parrots are animals naturally very loyal to their partner that is usually only one for life. They are even able to die with grief at the death of his companion.  They act as the messengers of love in the pastimes of Radha and Krishna. Through them, Their meetings are appointed under the command of Vrinda Devi, the dear friend and servant of the divine couple. Radharani also has a pet parrot, who later came to be Sukadeva Goswami.

Swans - Symbol of beauty, spirituality and discernment. Paramahansa, is a title given to the great spiritualists who can distinguish the real and eternal world, the illusory and temporary as well as the swan can extract only the milk even after it has been mixed with water. There are also several of them roaming through Vrndanan lakes! The Goddess Saraswati is transported by a beautiful swan.

Fish - Symbol of love and conquest, spirituality, knowledge and prosperity. It is the symbol of the flag emblem of Cupid, who with his arrows of flowers enchants the lovers. It is one of the symbols found on the feet of Vishnu, and also one of His forms taken to save the Vedic scriptures on the occasion of a flood, the Lord Matsya Avatara.

Lotus - Flower symbol of spirituality, beauty, femininity, purity, and mercy. It is a symbol of Lakshmi and is one of the items that Vishnu holds in one of his four arms, symbolizing His love for His devotees. This symbol is also one of the designs found on the soles of his feet. Like all symbols found on the feet of Krishna, it is also found at the feet of all His expansion as a certificate of authenticity. The feet of deities and holy people are compared to the lotus, which never comes into contact with the material world, as well as the very lotus that rises under water.

Mango - Symbol of prosperity and fertility. It is considered the highest of the fruits, the nectar of the gods. The mango leaves are also used in various ceremonies and religious festivals in the decoration of bringing success and auspiciousness. It is also a symbol of femininity, often used to decorate Radharani.

Swastika and mandalas in general - Symbolize the sun, the demi-god Surya, who brings prosperity, wealth, success, courage, initiative, insight, spirituality and health. Open paths. Widely used also in rangoli.

Shri - Is the Goddess of Wealth, Lakshmi, the consort of Vishnu. Give wealth, wisdom, spirituality, faith, beauty, and all sorts of blessings for those who serve to Her spouse. She appears in Mehandi in Her written form in Devanagari, the language of the Gods. Shri is also a prefix that precedes the divine names.

All these symbols are subject to a lot of talk about Krishna during the application of henna, what makes this service especially enjoyable! These are just some of the most commonly used symbols. I invite all readers to share more hobbies related to the symbols above and add information as the knowledge of each one.

Thank you!
Hare Krishna!

Rosana Araújo is plastic artist, bachelor in engraving by the School of Fine Arts at the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ). Check out some photos of her work. You can know more about their art on http://rosanaraujo.arteblog.com.br/ or contact her by the email: rosananevesrj@hotmail.com.

Thursday, June 16, 2011

Mehandi: arte, tradição e serviço

Por Rosana Araújo*

    Quando visitei Vrndavan (Índia) em fevereiro de 2005, a única intenção que eu tinha era adorar a Krishna naquele lugar sagrado. Como artista, eu ficava pensando em como usar minhas habilidades no serviço a Krishna. Foi por acaso que, caminhando por aquelas ruas empoeiradas em direção ao Loi Bazar, visualizei uma placa que oferecia uma série de serviços. Parecia mesmo que a pessoa sabia se virar! Um destes serviços eram as aulas da arte do mehandi. 

   Para quem não sabe, mehandi, ou mehndi (ou ainda mehendi), é como se chama a arte tradicional de aplicação de henna natural na Índia. Pensei que aprendendo esta arte eu poderia adicionar elementos da arte indiana ao meu trabalho artístico, mas também enxerguei ali uma grande oportunidade de ser útil nos festivais que os devotos organizam. Eu sempre quis estar em todas, e este serviço seria um belo pretexto!

   O meu curso lá durou apenas um mês, mas eu pratiquei todos os dias, dia e noite. Eu fiquei completamente fissurada por esta arte, e graças a minha querida professora, residente do dhama sagrado, eu conseguia entender os simbolismos presentes nos desenhos do mehandi sob a luz dos passatempos de Radha e Krishna.

    Dalí pra frente eu ainda tive que pesquisar, estudar e praticar bastante a fim de poder atender as demandas de minha própria fissura! Descobri em minhas pesquisas que não só os símbolos estavam direta ou indiretamente conectados com os passatempos de Radha e Krishna, como também que a própria tradição de aplicação do mehandi sempre foi executada no humor de prestação de serviço e de doação de amor e carinho.

     É dito que o uso da henna teve início entre as moças do interior do Rajastão e Gujarat. Na lavoura, elas sujavam acidentalmente suas mãos com a planta que dá origem à pasta, e notavam que enquanto suas mãos permaneciam manchadas, a temperatura do corpo baixava. Descoberta então a propriedade refrescante da henna, ela começou a ser muito útil durante os dias extremamente quentes do verão indiano. Não demorou muito para elas começarem a criar desenhos e enfeitarem umas as outras com a pasta vermelha (cor esta que sempre foi símbolo de Shakti, ou seja, energia e boa sorte).

      Todos conhecem a tradição de aplicação de henna nas mãos e pés das noivas indianas. Pois é, esta é a origem da despedida de solteira e chá-de-panela! O dia da aplicação da henna de casamento é um dia muito especial, e faz parte de um dos dias da semana de festa do casamento hindu. Atualmente isto tudo virou um símbolo de status social, mas tradicionalmente este dia possui uma série de significados profundos na vida da mulher:

- A henna é um dos primeiros presentes que o noivo oferece à noiva.

- É um dia em que ela se despede de sua vida de solteira com suas amigas e parentes.

- É uma ocasião onde ela ouve conselhos sobre a vida de casada e sobre como agradar o seu futuro esposo (por isso acredita-se que quanto maior a henna, melhor esposa a noiva será, pois desenhos elaborados demoram tempo para serem concluídos).

- É considerado como um ritual de passagem, uma festa que ameniza a tensão psicológica da mudança de status social.

- É uma oportunidade para as amigas e parentes demonstrarem o seu amor pela noiva, ajudando-a nos rituais de beleza, oferecendo presentes e tornando a aplicação de henna um momento agradável e relaxante para ela, fazendo-a também sentir-se mais bonita e confiante. Muitas vezes são elas mesmas que aplicam a henna na noiva.

By Gopal Swami Khetanchi

     Após a aplicação de elaborados desenhos nas mãos e nos pés, a noiva mais uma vez é “obrigada” a relaxar, pois é necessário certo tempo para que a henna seque e sua tintura natural penetre pelas camadas da pele, fixando-se nas células. E aí novamente as amigas entram em ação para ajudá-la no que for necessário. Isto inspira na noiva uma sensação confiança, sabendo que ela é amada e possui amigas em que ela pode contar para o que der e vier.

     Poucas pessoas conhecem, no entanto, os rituais de aplicação de henna na gravidez, no pré e pós-parto. Os princípios são os mesmos da tradição da henna de casamento, sendo que, como na gravidez ela recebe a henna pela segunda vez, esta henna traz memórias da ocasião feliz do seu casamento, fazendo-a lembrar que o filho é fruto desta união sagrada. Dizem também que a aplicação da henna na gravidês na cultura hindu é uma forma de amenizar os sintomas de depressão pós-parto, pois a faz sentir mais bonita, amada e protegida não só pelas pessoas amadas, mas protegida também pelos símbolos de proteção e de boa sorte presentes nos desenhos da henna.

   O mehandi também aparece em outras ocasiões importantes na vida social hindu, principalmente quando se está iniciando uma nova etapa na vida. O mehandi assinala um momento festivo, e também se acredita que trás boa sorte, proteção e purificação (esta última qualidade talvez esteja conectada com suas propriedades anti-sépticas naturais).

    Veremos a seguir o significado de alguns símbolos, e como podemos lembrar-nos de Radha-Krishna contemplando os desenhos feitos com a henna:

Pavão – Símbolo de amor, divindade, realeza, e beleza. O pavão é considerado um animal de características muito auspiciosas, como por exemplo, possuir uma coroa natural em sua cabeça e ser um predador de serpentes, simbolizando sua força para a destruição da inveja e de todo o mal. Krishna usa uma pena de pavão em sua cabeça como ornamento. Isso faz do pavão um animal não só especial, como sagrado. Em Vrindávan, cidade onde Krishna manifestou seus passatempos infantis e juvenis, até hoje os pavões passeiam livremente por seus pátios e bosques. De manhã eles fazem o mesmo papel dos galos no ocidente, acordando os moradores de Vrindávan com seu canto característico. Há uma lenda em Vrindávan que conta como os pavões são fecundados: é dito que ao verem nuvens carregadas de chuva ( a cor da pele de Krishna é comparada à uma nuvem carregada de chuva.), os pavões lembram de Krishna com saudade e começam a cantar e chorar. Os pavões fêmeas são fecundadas ao beberem a água desta chuva que cai.

Papagaios – Símbolo de amor e fidelidade. Os papagaios são animais naturalmente muito fiéis ao seu parceiro(a) que costuma ser somente um por toda a vida. Eles são até mesmo capazes de morrer de tristeza com a morte de seu companheiro (a). Funcionam como os mensageiros do amor nos passatempos de Radha e Krishna. Através deles Seus encontros são marcados sob o comando de Vrinda Devi, a querida amiga e serva do casal divino. Radharani também possui um papagaio de estimação, que mais tarde veio a ser Sukadeva Goswami.

Cisnes – Símbolo de beleza, espiritualidade e discernimento. Paramahansa, é um título dado aos grandes espiritualistas que conseguem distinguir o mundo real e eterno, do ilusório e temporário assim como o cisne consegue extrair somente o leite mesmo depois de ele ter sido misturado com a água. Há também diversos deles passeando pelos lagos de Vrndanan! A Deusa Saraswati é transportada por um belo cisne.

Peixe – Símbolo do amor e da conquista, espiritualidade, conhecimento e prosperidade. É o símbolo emblema da bandeira do Cupido, que com suas flechas de flores encanta os enamorados. É um dos símbolos encontrados nos pés de Vishnu, e também uma de Suas formas assumidas para salvar as escrituras védicas na ocasião de um dilúvio, o Senhor matsya avatara.

Lótus – Flor símbolo de espiritualidade, beleza, feminilidade, pureza, e misericórdia. É um dos símbolos de Lakshmi e é um dos itens que Vishnu segura em um de Seus quatro braços, simbolizando sua misericórdia para com Seus devotos. Este símbolo também é um dos desenhos encontrados nas solas de Seus pés. Assim como todos os símbolos encontrados nos pés de Krishna, ele também é encontrado nos pés de todas as Suas expansões como um atestado de autenticidade. Os pés das divindades e pessoas santas são comparados ao lótus, pois nunca entra em contato com o mundo material, assim como o próprio lótus que se eleva sob as águas.

Manga – Símbolo de prosperidade e fertilidade. É considerada a mais elevada das frutas, o néctar dos deuses. As folhas da mangueira também são usadas em diversas cerimônias e na decoração de festas religiosas trazendo sucesso e auspiciosidade. É também um símbolo de feminilidade, usado muitas vezes para decorar Radharani.

Suástica e mandalas em geral – Simbolizam o Sol, o Semi-Deus Surya, que traz prosperidade, riqueza, sucesso, coragem, iniciativa, discernimento, espiritualidade e saúde. Abrem os caminhos. Muito usado também no rangoli.

Shri – É a Deusa da Fortuna, Lakshmi, consorte de Vishnu. Concede riqueza, sabedoria, espiritualidade, fidelidade, beleza, e toda sorte de bênções para àquele que serve ao Seu esposo. Ela aparece no Mehandi em Sua forma escrita em Devanagari, a língua dos Deuses. Shri também é um prefixo que antecede os nomes divinos.


      Todos estes símbolos dão assunto para muita conversa sobre Krishna durante a aplicação da henna, isto torna este serviço especialmente prazeroso! Estes são só alguns dos símbolos mais utilizados. Convido todos os leitores a compartilharem mais passatempos relacionados aos símbolos acima e acrescentarem informações conforme o conhecimento de cada um.

Muito obrigada!

Hare Krishna!

* Rosana Araújo é artista plástica, bacharel em gravura pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro ( UFRJ). Confira abaixo algumas fotos do seu trabalho. Você pode saber mais da sua arte  em http://rosanaraujo.arteblog.com.br/  ou contactá-la através do e-mail: rosananevesrj@hotmail.com